Assembleia Municipal e Câmara Municipal estão instaladas


Teve lugar hoje (17/10), no cineteatro Curvo Semedo, perante uma sala completamente cheia, a instalação da nova assembleia municipal e da nova câmara municipal, resultantes das eleições do passado dia 26 de setembro. Este foi um momento histórico na vida política do concelho de Montemor-o-Novo, uma vez que, pela primeira vez, os eleitos do partido socialista, vão comandar os destinos do município, depois de 45 anos de gestão comunista.

A população do concelho quis agraciar os novos autarcas e encheu a sala, tendo respondido, deste modo, ao convite enviado pelos órgãos do município. Para a assembleia municipal, Carmen Carvalheira foi a primeira a tomar posse como elemento da lista mais votada (PS), tendo-se seguido os 21 eleitos e os sete presidentes das juntas de freguesia que, por inerência, também fazem parte deste órgão deliberativo.

Depois de os eleitos para a assembleia municipal terem tomado posse, seguiram-se os eleitos para a câmara municipal, desta vez por ordem decrescente na votação. Por último, Olímpio Galvão subiu ao palco para ler o termo de compromisso de honra, perante uma plateia que o aplaudiu de pé.

Seguiram-se os discursos dos partidos político com representação nos órgãos do município, tendo António Xavier sido o primeiro a falar. O agora vereador, agradeceu a todos aqueles que acreditaram no projeto ‘Juntos para fazer diferente’, tendo também elogiado a equipa que “fez mais do que todas as outras”. António Xavier referiu também que pretende fazer uma “política pela positiva, feita por montemorenses e para montemorenses”, frisando que estão “sempre disponíveis para debater o futuro do nosso concelho”, e sublinhando que “o próximo mandato vai ser diferente”, pelo que chamou a atenção para a necessidade de todos os eleitos saberem respeitar “os princípios basilares da democracia e saberem dialogar em prol da construção de um melhor futuro para Montemor-o-Novo”.

Por parte da CDU, António Romeiras, sem nunca referir o resultado das eleições que retiraram o poder aos comunistas, realçou a dinâmica de participação dos montemorenses na construção do seu destino e no do poder local democrático. O vereador sublinhou ainda que “Montemor é um concelho de referência no Alentejo e no país”, e acrescentou que “desde a revolução de abril construiu-se um concelho onde é bom crescer e viver”, tendo ainda feito referência à obra deixada pelos anteriores autarcas comunistas.


Por último, Olímpio Galvão, subiu ao palco na qualidade de presidente da câmara municipal para fazer o seu primeiro discurso. O novo edil começou por afirmar que “o dia de hoje é muito especial, não apenas porque o partido socialista venceu as últimas eleições autárquicas em Montemor-o-Novo, mas porque se celebra, finalmente, a alternância democrática no nosso concelho”. Em seguida, Olímpio Galvão fez referência aos muitos socialistas que lutaram para que esta situação fosse hoje possível e sublinhou “a confiança da população no momento político em que vivemos. Sei que há muitas expetativas relativamente ao futuro e sei que não as iremos defraudar porque amamos Montemor e quem ama cuida”.

De entre os convidados presentes, Luís Capoulas Santos, deputado pelo PS na Assembleia da República, deixou ao microfone da Folha palavra emotivas sobre o momento que se viveu hoje nesta cidade. “Faz precisamente anos que eu fui o primeiro candidato do PS à disputa da câmara municipal e ver, por fim, funcionar a alternância democrática é algo que me emociona bastante porque penso que a alternância é a essência da democracia”. Para justificar esta vitória, o deputado acrescentou ainda que “esta foi um triunfo do PS que, por um lado, apostou num projeto e que trabalhou durante dois mandatos para tentar convencer os eleitores dos méritos desse projeto”, tendo sublinhado que “apesar da dimensão da vitória ela não foi com maioria absoluta, coisa que o PCP sempre teve, mas é uma vitória que responsabiliza muito os vencedores porque as expetativas são muito elevadas”.

Carlos Zorrinho que fez parte das duas anteriores assembleias municipais, revelou “que esta vitória significa o triunfo da democracia e da perseverança, porque esta equipa foi consolidando e tornando apetecíveis para o eleitorado um conjunto de propostas de mudança e de modernização para este concelho”.

Sem surpresas a primeira reunião da assembleia municipal confirmou Carmen Carvalheira como presidente da mesa, tendo vencido a lista proposta pelo PS e sido derrotada a lista proposta pela CDU.

A passagem de testemunho foi feita com elevação, perante um público que se mostrou satisfeito com as mudanças agora sufragadas.


A.M. Santos Nabo

fotos: Paulo Caldeira

0 visualização0 comentário