top of page

Com o coração ao pé da boca





A vila de Cabrela, numa iniciativa da associação ‘Lar doce ler’, recebeu no passado dia 10 de fevereiro o cirurgião Eduardo Barroso para uma conversa sobre o seu recente livro de memórias intitulado ‘Coração ao pé da boca’. A jornalista Ana Daniela Soares moderou a sessão.

David Lopes, o anfitrião do evento, referiu que estes encontros são já “centros de referência de livros e autores”, e acrescentou que “a aventura da leitura é um caminho para a liberdade e para a felicidade”. Sobre o convidado da tarde, referiu que “Eduardo Barroso é um ser humano extraordinário que trata dos seus doentes com ternura, com beijos na testa e nas mãos. Um cirurgião de nível mundial a quem Portugal tem uma dívida eterna pela forma como colocou a sua carreira ao serviço do país e da vanguarda do tratamento hepático e da transplantação, criando em Portugal um centro de excelência que já salvou e prolongou milhares de vidas. Um homem livre, que pensa pela sua cabeça, sem medo, mas também com a capacidade de pedir desculpa e de estabelecer pontes. Nunca o orgulho se sobrepôs à consciência e à ética”, e concluiu, “a sua vida dava um filme”.

Ana Daniela Soares apresentou o convidado de forma informal e salientou a “militância” de Eduardo Barroso pelo Serviço Nacional de Saúde, bem com a sua forma de aproveitar os prazeres da vida.

O autor do livro começou por agradecer as palavras de elogio que lhe foram dirigidas e confessou que “eu não sou um escritor, como é evidente”, tendo revelado o desafio que os editores lhe lançaram para escreveu umas “memórias profissionais”, e que acabou por ser aproveitado para fazer a defesa do Serviço Nacional de Saúde. “Este livro é obsessivo” nessa defesa e sublinhou que “não se pode ser competente em todas as áreas, pelo que era necessário organizarmos os nossos serviços de tratamento”.

Seguiram-se quase duas horas de conversa e de histórias que Eduardo Barroso divulgou à assistência que se deliciou com o que ouviu. Eduardo Barroso revelou todo o seu percurso de vida, tanto profissional como pessoal, com várias histórias divertidas e curiosas que são apresentadas no livro, desde a sua estada em Inglaterra para fazer uma especialização, até à sua costela de adepto do Sporting, praticamente tudo ficou a limpo em relação à sua vida e à defesa das suas convicções. Houve também tempo para que algumas pessoas que tinham sido tratadas por ele se manifestassem e revelassem como foram tratadas, o que constituiu um momento de forte emoção na sala; e outras pessoas que com ele trabalharam e que acabaram por revelar a admiração que têm pelo profissional e pela pessoa que é.

Apesar da extensão do tempo previsto, a conversa fluiu de forma sempre agradável e ligeira o que permitiu aos presentes um convívio único com uma pessoa de exceção que no livro agora publicado e na sua forma de ser e de estar é um defensor fortíssimo do Serviço Nacional de Saúde.

No final, quase ninguém resistiu a levar para casa um livro autografado pelo professor Eduardo Barroso.

 

A.M. Santo Nabo

 

44 visualizações0 comentário
bottom of page